Notícias

Atenção!!!

O Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento da UFES divulga Edital de Seleção para processo seletivo de Mestrado e Doutorado ingresso no curso no período 2021/1.

As inscrições estarão abertas no período de 13 de outubro a 08 de novembro de 2020.

Todas as informações estão contidas no edital em: PROCESSO SELETIVO/ MESTRADO/ DOUTORADO.

 

Alegre/ES, 13 de outubro de 2020.

 

Prof. Adaésio Ferreira

Coordenador

 

CAPES adota modelo inédito de concessão de bolsas

Publicado: Quinta, 20 Fevereiro 2020 16:26 , Última Atualização: Quinta, 20 Fevereiro 2020 16:26

A partir de agora, a CAPES implementará, de forma gradativa, um novo modelo de concessão de bolsas de estudo para programas de pós-graduação stricto sensu. O objetivo é corrigir distorções na distribuição do benefício e valorizar os cursos com melhor desempenho acadêmico e aqueles oferecidos em municípios com menor desenvolvimento humano. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 20, pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, e pelo presidente da CAPES, Benedito Aguiar. Para o ministro, o modelo de concessão dá continuidade à política do MEC de valorizar o desempenho acadêmico e diminuir a concentração das bolsas da CAPES em grandes centros: “A gente quer espalhar mais a pesquisa científica no Brasil, mas sempre buscando o mérito”.
Ações pontuais, incorporadas ao longo dos anos aos programas institucionais de concessão de bolsas, provocaram distorções na distribuição. Foram identificados, por exemplo, cursos de doutorado semelhantes (mesmas nota, área de conhecimento e localização geográfica) com quantitativos de bolsas muito diferentes. Também foram observados cursos de excelência com número de bolsas inferior ao de cursos com nota mínima permitida.
Bolsistas não serão atingidos com a adoção do modelo pois serão redistribuídas somente as bolsas que não estiverem em uso. Atualmente, a CAPES concede 81.400 bolsas a estudantes de 5.700 cursos de mestrado e doutorado, em todas as unidades da Federação, por meio de programas institucionais de apoio à pós-graduação — Programa de Demanda Social (DS), Programa de Excelência Acadêmica (PROEX), Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares (PROSUP) e Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições Comunitárias de Ensino Superior (PROSUC).
“Esse modelo é dinâmico, pois possibilita, por exemplo, aumentar o número de bolsas para cursos que melhoram o nível de avaliação e para aqueles que estão em áreas que necessitam de incentivo para estimular o desenvolvimento local”, afirma Benedito Aguiar, presidente da CAPES. Para ele, a medida reequilibra o sistema de concessão de bolsas e dá previsibilidade à pós-graduação já que agora há critérios mais objetivos.

Critérios utilizados
No modelo de concessão, a CAPES tratou de forma separada os cursos dos três colégios: Ciências da Vida, Humanidades e Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar. A medida contribui para a implementação gradativa do modelo.

“O modelo que entra em vigor, com o apoio do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (Foprop), harmoniza a distribuição de bolsas com o resultado da avaliação periódica da pós-graduação”, explica Zena Martins, diretora de Programas e Bolsas no País da CAPES. Assim, segundo ela, quanto mais elevada for a nota obtida pelo curso maior será o número de bolsas a que ele terá direito, valorizando o mérito acadêmico.

O número de estudantes concluintes ou titulados por curso também será considerado, a partir de agora, para a concessão de bolsas. A classificação do curso nesse quesito será obtida por meio da comparação do número médio de titulados, no período de 2015 a 2018, com a média de titulados do colégio ao qual pertence.

Além disso, com o objetivo de atingir meta do Plano Nacional de Educação de titular 25 mil doutores por ano até 2024, os cursos de doutorado receberão mais bolsas do que os de mestrado. A meta para o mestrado, de titular 60 mil anualmente, já foi superada.

Para gerar impacto social e econômico nos municípios menos desenvolvidos do País onde são ofertados cursos de mestrado e doutorado, a concessão de bolsas também passa a levar em conta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Com isso, por exemplo, um curso localizado em cidade de IDHM mais baixo terá duas vezes o número de bolsas que um curso semelhante ofertado em um município de IDHM mais alto.

O modelo, que será implementado de forma gradativa, prevê que o número de benefícios a ser concedido para cada curso será obtido pelo resultado da multiplicação de valores de referência de concessão de bolsas por pesos associados ao IDHM e à titulação média de estudantes.

Com a implementação gradativa do modelo, nenhum curso perderá ou ganhará um número de bolsas superior a 10% de sua concessão atual, exceto cursos de nota 6 ou 7, cujo limite de ganhos poderá chegar a 30%.

Carlos Henrique de Carvalho, presidente do Foprop, destaca dois aspectos no modelo que considera fundamentais: a transparência e o acompanhamento da implementação. “A comunidade científica terá uma visão prévia de como será a concessão de bolsas e uma avaliação permanente dos resultados que o próprio modelo está gerando”, argumenta.

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

 

Pesquisadores do Programa em Genética e Melhoramento registram primeira cultivar de café conilon

A UFES teve recentemente seu primeiro registro de cultivar, no Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento, sendo denominada de Tributun. Participaram do registro como melhoristas os Eng. Agrônomos Fábio Luiz Partelli (Prof. da UFES e coordenador do trabalho), João Antonio Dutra Giles, Gleison Oliosi, André Monzoli Covre, Adésio Ferreira (Prof. da UFES) e o agricultor Valcir Meneguelli Rodrigues.

 
Os materiais foram selecionados e propagados vegetativamente por estaquia, e plantados em uma mesma lavoura, juntamente com genótipos registrados que são tradicionalmente
cultivados na região, e estes foram utilizados como padrão de produtividade. Durante a avaliação, foi verificada boa adaptação às condições de cultivo e não foi verificado ataque severo das principais pragas e doenças, com as plantas mantendo-se vigorosas e com bom enfolhamento, apresentando alta produtividade, inclusive quando comparado a genótipos registrados e de grande aceitação entre os cafeicultores, sendo recomendada para o Estado do Espírito Santo, Sul da Bahia e Leste do Minas Gerais, em áreas (nos três Estados) inferiores a 500 metros de altitude. 

Para mais detalhes, leia a reportagem integral na Folha Acadêmica(link is external), ou assista o video da reportagem completa do Jornal do Campo.(link is external)

Publicado originalmente em PRPPG UFES

 
 

ATIVIDADES DO PROGRAMA A SEREM CUMPRIDAS PELOS ALUNOS 

ANTES DA DEFESA DE DISSERTAÇÃO/ TESE

ATIVIDADES

PRAZO A CUMPRIR

Seminário I e II para mestrado

Cumprir a disciplina em (02) dois semestres

Seminário I e II para doutorado

Cumprir a disciplina em (02) dois semestres

Estágio Docência no mestrado todos os alunos com bolsa CAPES ou FAPES        

Cumprir a disciplina em 01 (um) semestre e  antes de terminarem os créditos

Estágio Docência no doutorado todos os alunos com bolsa CAPES ou FAPES

Cumprir a disciplina em 02 (dois) semestres e antes de terminarem os créditos

Defesa de projeto mestrado

Defender em até 12 meses de curso

Defesa de projeto doutorado

Defender em até 18 meses de curso

Exame de qualificação doutorado

Defender em até 30 meses de curso

Pedido de defesa de dissertação/ tese

Solicitar ao programa com 20 dias de antecedência

Defesa de dissertação

Defender em até 24 meses de curso

Defesa de Tese

Defender em até 48 meses de curso

 

 

 

 

 

 

 

Composição de Banca

Banca Defesa de Projeto

Orientador ou Coorientador;

Membro interno ao programa;

Membro externo ao projeto.

Banca Defesa Exame de Qualificação

Orientador ou Co-orientador (presidente da banca);

01 (um) membro da linha;

01 (um) membro externo ao programa

01 (um) membro do programa ou externo

Banca Defesa de Dissertação

Orientador (presidente da banca);

01 (um) Coorientador;

01 (um) membro externo ao programa.

Banca Defesa de Tese

Orientador (presidente da banca);

01 (um) coorientador;

01 (um) membro externo ao programa;

01(um) membro externo à Instituição;

01 (um) membro do programa ou externo.

 

Alegre/ ES, 31 de março de 2015.

 

Profª. Drª. Milene Miranda Praça Fontes

Coordenadora do PPGGM

 

O Programa de Mestrado e Doutorado Stricto Sensu em Genética e Melhoramento do Centro de Ciências Agrárias da UFES (Alegre, ES) foi aprovado em 2012 pela CAPES, recebendo, ambos, o conceito 4.

Os objetivos do Programa se estendem desde propiciar o desenvolvimento de produtos de base tecnológica a partir da estruturação para o melhoramento genético, até gerar informações básicas e aplicadas para orientar o uso racional e sustentável dos recursos naturais e possibilitar a formação acadêmico/científica de novos profissionais.

O programa possui três linhas de pesquisa [Melhoramento, Biologia Evolutiva e Citogenética e Biotecnologia] e 41 docentes credenciados os quais atuam em áreas de pesquisas integradoras e multidisciplinares: Biometria, Biologia Molecular, Recursos Genéticos, Evolução, Sistemática Vegetal, Filogenia, Mutagênese Vegetal e Animal, Citogenética Vegetal e Animal, Melhoramento, Ecofisiologia, Fisiologia do Estresse, Diversidade Genética, Cultura de Tecidos Vegetais, Conservação de Recursos Genéticos, e outras. 

Contato: Professora Milene Miranda Praça Fontes – (28) 3552-8621 (Sala) (28) 3552-8933 (secretaria)

E-mail: ppggmufes [at] gmail.com

 

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000